Otites externas são comuns no verão

 

 

Mesmo que, neste ano, a temporada de sol e de altas temperaturas tenha demorado um pouco a começar, agora, é tempo de se refrescar com longos banhos de mar e piscina. Porém, essa diversão, que não tem idade e agrada a todos, exige alguns cuidados específicos para que a saúde não seja afetada.

 

Além da proteção solar, é necessário redobrar a atenção com os ouvidos. De acordo com o otorrinolaringologista Marcio Freitas, nos meses de férias, há um aumento significativo no número de pacientes que reclamam de dores nessa parte do corpo. O médico explica que esse mal-estar costuma ser bastante forte e exige acompanhamento de um especialista. “A água acumulada nas orelhas deixa as pessoas mais suscetíveis a infecções, principalmente, a chamada otite externa”, esclarece.

 

Por isso, quem tem ouvidos sensíveis deve usar algum tipo de proteção antes de entrar na água. Produtos específicos podem ser encontrados em farmácias e devem fazer parte da rotina desses pacientes. Além disso, Freitas chama a atenção para a importância da secagem adequada das orelhas após exposição à agua do mar, piscina e rios. Conforme o médico, a sugestão é utilizar uma toalha macia ao invés de cotonetes.

 

Aos que sentirem qualquer desconforto, o otorrinolaringologista indica atendimento médico o mais breve possível. “O primeiro sinal é a sensação de ouvido fechado, depois, surgem dores e secreções”, complementa. Segundo ele, é comum tentar retardar a consulta ingerindo anti-inflamatórios. Entretanto, esses remédios não fazem o efeito desejado e o incômodo persistirá. Para amenizar a dor, utiliza-se medicação específica prescrita por especialista.